Trump pede por fim de protesto, mas insiste em fraude eleitoral

Republicano publicou vídeo em sua conta no Twitter

Manifestantes invadiram Congresso dos EUA
Manifestantes invadiram Congresso dos EUA (foto: EPA)
21:39, 06 JanNOVA YORK ZCC

(ANSA) - Pouco tempo depois de seus apoiadores invadirem a sede do Congresso dos Estados Unidos na tarde desta quarta-feira (6), o presidente Donald Trump pediu para os manifestantes deixarem o local.

Apesar do pedido, o republicano voltou a dizer que a eleição de novembro, na qual o democrata Joe Biden saiu vencedor, foi roubada. "A eleição nos foi roubada, mas vocês precisam ir para casa", declarou em um vídeo divulgado no Twitter.

A gravação foi publicada logo após Biden fazer um apelo para Trump ir à televisão nacional pedir o fim do protesto violento.

Os manifestantes invadiram o Capitólio durante a contagem oficial do votos do Colégio Eleitoral para certificar a vitória do democrata.

"Conheço sua dor. Tivemos uma eleição que foi roubada de nós, mas vocês precisam ir para casa. Precisamos ter lei e ordem", declarou.

O magnata também afirmou não querer "ninguém ferido", mas voltou a falar em "eleição fraudulenta". Até o momento, segundo a imprensa americana, 13 pessoas foram detidas durante o protesto e pelo menos cinco armas de fogo foram apreendidas. Diversos policiais ficaram feridos e uma mulher foi atingida por tiros.

O vice-presidente dos EUA, Mike Pence, por sua vez, pediu que os apoiadores de Trump deixassem o Congresso "imediatamente" e afirmou que todos os envolvidos sofrerão consequências legais.

"Protestos pacíficos estão no direito de todo americano, mas este ataque ao nosso Capitólio não vai ser tolerado", declarou.

De acordo com a Guarda Nacional, os manifestantes já foram retirados do local e o Congresso está "seguro", apesar do grupo ainda permanecer na área externa do prédio. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA