Democratas são eleitos na Geórgia e garantem maioria no Senado

Estado decidiu as 2 últimas vagas do Senado americano

Warnock é o primeiro senador negro eleito
Warnock é o primeiro senador negro eleito (foto: EPA)
21:47, 06 JanWASHINGTON ZCC

(ANSA) - O Partido Democrata garantiu nesta quarta-feira (6) as duas últimas cadeiras no Senado dos Estados Unidos, disputadas em segundo turno no estado da Geórgia. Com isso, o presidente eleito Joe Biden terá o controle do Congresso americano neste início de mandato.

Com 98% das urnas apuradas, Raphael Warnock derrotou a republicana Kelly Loeffler, com 50,7% contra 49,3%, e se tornou o primeiro senador negro eleito pelo estado do sul e o primeiro democrata a vencer a disputa na Geórgia em mais de 20 anos. Já Jon Ossoff superou David Perdue, com 50,3% contra 49,7%, candidato do partido do presidente Donald Trump.

Warnock já havia reivindicado sua vitória na disputa eleitoral por conta da projeção feita pela Associated Press. Em um vídeo publicado nesta manhã, Ossoff também declarou sua conquista. "Eu agradeço o povo da Geórgia por me eleger para servi-los no Senado dos Estados Unidos. Agradeço a confiança que vocês colocaram em mim", disse. No entanto, as confirmações só ocorreram nesta noite.

Mais cedo, Biden chegou a parabenizar Warnock por sua "vitória revolucionária" na votação na Geórgia para o Senado e disse estar "confiante de que, quando a contagem for concluída, o outro candidato Jon Ossoff será vitorioso".

A Geórgia foi às urnas novamente porque, na disputa de 3 de novembro, nenhum dos quatro candidatos conseguiu obter 50% dos votos dos cidadãos.

Segundo dados da Geórgia, mais de três milhões de cidadãos votaram de maneira antecipada - cerca de 40% daqueles que têm direito ao voto. A vitória dos democratas representa mais um duro golpe contra Trump em um estado que era dominado pelos republicanos há décadas.

Nas eleições de novembro, o republicano foi derrotado e sempre alegou, sem conseguir comprovar, que houve fraude nos resultados. No fim de semana, um áudio publicado pelo jornal "The Washington Post" mostrou Trump pressionando o secretário de Estado da Geórgia, Brad Raffensperger, para "encontrar" votos a seu favor e reverter os resultados das urnas. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA