Policial morre e eleva para 5 as vítimas da invasão ao Capitólio

Chefe dos agentes de segurança vai renunciar ao cargo

Invasão ao Capitólio deixou ao menos 5 mortos
Invasão ao Capitólio deixou ao menos 5 mortos (foto: EPA)
09:11, 08 JanWASHINGTON ZGT

(ANSA) - Um agente da polícia do Congresso dos Estados Unidos morreu na noite desta quinta-feira (07) elevando para cinco o total de vítimas da invasão do Capitólio por apoiadores de Donald Trump ocorrida um dia antes.

Segundo nota oficial da corporação, Brian Sicknick "estava respondendo ao ataque de quarta-feira, 6 de janeiro, no Capitólio e foi ferido enquanto lutava fisicamente contra os manifestantes". "Ele voltou para a base e desmaiou. Levado ao hospital, porém, morreu por consequência das feridas", conclui o comunicado.

Essa é a primeira baixa entre os agentes de defesa do prédio e outros três foram internados por conta dos ferimentos. Ao todo, 14 policias de diversas corporações federais e locais ficaram feridos na ação.

A identidade das outras quatro vítimas não foi revelada pelas autoridades, mas uma mulher, identificada como Ashli Babbit, 35 anos, foi confirmada como uma das vítimas por familiares ouvidos pela mídia. Ela morreu com um tiro no peito ao tentar invadir uma área dentro do Congresso.

Mais de 60 pessoas foram presas pela ação da última quarta-feira, uma invasão inédita na história dos Estados Unidos.

Diversos veículos de mídia do país estão informando que o chefe da Polícia do Capitólio irá renunciar ao cargo no próximo dia 16 de janeiro, pouco antes da posse de Joe Biden, que será realizada no dia 20.

Há muitos questionamentos sobre a defesa do prédio no dia do ataque, pois os manifestantes conseguiram invadir um dos prédios mais importantes da capital Washington sem sofrer grandes repressões e ficaram por quase duas horas no local. Diversas foram as imagens mostrando agentes tirando fotos com os invasores ou levando pela mão pessoas que tinham cometido o crime. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA