Suécia muda postura e aprova lei que permite fechar comércio

País é conhecido por não adotar regras rígidas contra Covid-19

Suécia adotou estratégia mais branda e é o país nórdico com mais casos e mortes
Suécia adotou estratégia mais branda e é o país nórdico com mais casos e mortes (foto: EPA)
14:23, 08 JanESTOCOLMO ZGT

(ANSA) - Pela primeira vez desde o início da pandemia de Covid-19, a Suécia aprovou nesta sexta-feira (08) uma lei mais dura e que permite o fechamento do comércio e de serviços não essenciais como uma das formas de combater à crise sanitária.

A nova lei, aprovada pelo Parlamento após projeto feito pelo Executivo, entra em vigor a partir do domingo (10) e permite que o governo tenha a autoridade para fechar lojas, centros comerciais ou linhas de transporte público.

Além disso, os líderes políticos poderão determinar o número de pessoas que podem ficar juntas e ao mesmo tempo em espaços públicos específicos e impor restrições a reuniões públicas.

Na maior parte das situações previstas em lei, quem descumprir as regras deverá pagar multas. No entanto, não há restrições para que os moradores saiam de casa ou ordens para permanecer em isolamento - apenas o pedido de bom senso para evitar saídas desnecessárias - e mantém-se a recomendação de usar máscaras no transporte público.

Nas últimas 24 horas, a Suécia registrou 7.187 casos novos de Covid-19 e 171 mortes. Com isso, o país soma 489.471 contágios confirmados e 9.433 mortos - um número muito superior aos vizinhos nórdicos, que adotaram medidas restritivas desde o início da pandemia.

A Dinamarca soma 179.168 casos e 1.518 óbitos; a Finlândia tem 38.068 contágios e 586 falecimentos; e Noruega com 53.792 casos e 472 mortos. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA