Jornalistas são condenadas à prisão por filmarem protestos em Belarus

Shultsova e Bakhvalova precisarão cumprir 2 anos de detenção

Jornalistas pegaram dois anos de prisão por divulgar imagens de agressões de policiais contra manifestantes (foto: EPA)
09:04, 18 FevSÃO PAULO ZGT

(ANSA) - As jornalistas Daria Shultsova e Katerina Bakhvalova foram condenadas nesta quinta-feira (18) a dois anos de prisão em Belarus por cobrirem os protestos contra o presidente do país, Aleksandr Lukashenko, informou a emissora "Belsat".

As duas repórteres haviam sido presas em 15 de novembro do ano passado e trabalhavam para a emissora que faz oposição ao mandatário e que tem sede na Polônia. Elas tinham filmado, a partir de um apartamento, a violenta repressão de policiais contra os manifestantes que clamam por novas eleições desde o dia 9 de julho.

"Eu mostrei os fatos no ar e me colocaram na prisão por isso, inventando acusações", disse Bakhvalova durante a audiência final, ainda conforme a "Belsat". O governo acusa as duas de "incitar manifestações" por publicar as imagens, o que configura "crime contra a ordem pública".

Esse é só mais um episódio da violência do governo do "último ditador da Europa" contra a população, a imprensa e os opositores. Vencedor de uma eleição que foi colocada sob suspeita de fraude pela maioria das potências internacionais - com exceção da Rússia -, Lukashenko vem enfrentando protestos quase diários desde que os resultados de boca de urna foram divulgados.

O presidente, que está no poder desde 1994, informou que apresentou um novo projeto de reforma constitucional que prevê novas eleições, mas é quase impossível acreditar que a disputa será livre - já que as principais lideranças da oposição foram presas ou fugiram do país. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA