EUA atenuam restrições a diplomatas iranianos em Nova York

Governo anunciou que últimas sanções de Trump 'ficarão no papel'

Irã voltou a fazer apelo para que todas as sanções impostas por Trump sejam revogadas
Irã voltou a fazer apelo para que todas as sanções impostas por Trump sejam revogadas (foto: ANSA)
14:27, 19 FevWASHINGTON ZGT

(ANSA) - O Departamento de Estado norte-americano informou na noite desta quinta-feira (18) que atenuou as restrições para diplomatas iranianos em Nova York, local onde fica a sede da Organização das Nações Unidas (ONU).

As regras atuais criadas pelo ex-presidente Donald Trump previam que os representantes de Teerã não poderiam se afastar por mais de algumas ruas da sede da ONU. Agora, eles poderão circular normalmente pela cidade norte-americana.

A notícia foi dada logo após uma reunião virtual entre os norte-americanos e os ministros de Relações Exteriores do Irã, Alemanha, França, Reino Unido, China e Rússia - países que firmaram o Acordo Nuclear de 2015. Os EUA saíram do pacto em 2018, também por determinação de Trump, mas o governo Biden confirmou ao grupo que tem a intenção de retornar à pauta.

Para mostrar seu interesse, os norte-americanos ainda informaram que as últimas sanções unilaterais contra os iranianos anunciadas pelo republicano em setembro do ano passado "ficarão apenas no papel".

Após o encontro, nesta sexta-feira (19), o ministro iraniano das Relações Exteriores, Mohammad Javad Zarif, voltou a fazer um apelo para que Washington retire todas as sanções impostas por Trump. Assim que elas forem removidas "incondicionalmente e de maneira efetiva", também Teerã "retirará rapidamente as suas medidas de resposta".

As duas atitudes do governo Biden foram elogiadas pela Rússia, mas o Kremlin ainda defende a criação de um plano de ação conjunto sobre o programa nuclear iraniano.

"Por si só, abandonar a introdução de novas sanções é uma coisa positiva. Uma pressão com sanções desse tipo não ajudaram obviamente a aplicar o acordo nuclear iraniano e, sobretudo, levaram a situação a um complicado voo cego", disse o porta-voz do governo, Dmitri Peskov, em sua coletiva diária.

A saída dos EUA do acordo com o Irã estremeceu o pacto entre o grupo chamado de 5 + 1 (os membros do Conselho de Segurança da ONU + a Alemanha). Desde então, Trump começou a impor uma série de sanções unilaterais e o Irã respondeu também aumentando o enriquecimento de urânio, violando termos acordados. (ANSA).

   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA