Repressão a protestos contra golpe em Myanmar mata ao menos 18

ONU condenou escalada de violência no país

Policiais usaram balas de borracha e gás lacrimogêneo (foto: EPA)
08:03, 01 MarYANGON ZCC

(ANSA) - Pelo menos 18 pessoas foram mortas e 30 ficaram feridas, neste domingo (28), na repressão da polícia a protestos contra o golpe militar em Myanmar.

A informação foi relatada pela BBC, citando fontes médicas em Yangon, Dawei e Mandalay, onde a polícia usou balas de borracha e gás lacrimogêneo para conter a multidão.

Este ficou marcado como o dia mais sangrento desde o início dos protestos contra o golpe de 1º de fevereiro, quando os militares tomaram o poder e prenderam a líder política do país, Aung San Suu Kyi, sob alegação de fraude nas eleições de novembro.

Ontem (27), a junta militar no poder destituiu seu embaixador na ONU, que havia pedido o "fim do golpe" no país asiático. As Nações Unidas, por sua vez, condenaram a repressão violenta.

"Condenamos veementemente a escalada da violência contra os protestos em Mianmar e pedimos aos militares que parem imediatamente com o uso da força contra manifestantes pacíficos", disse Ravina Shamdasani, porta-voz do Conselho de Direitos Humanos da ONU, em um comunicado. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA