UE prepara sanções a chineses por repressão contra uigures

Europa não adota embargos contra Pequim desde 1989

Protesto em Istambul, Turquia, contra repressão à minoria uigure na China
Protesto em Istambul, Turquia, contra repressão à minoria uigure na China (foto: EPA)
09:56, 17 MarPEQUIM ZLR

(ANSA) - Os Estados-membros da União Europeia chegaram a um acordo para impor sanções contra dirigentes chineses envolvidos em violações dos direitos humanos contra a minoria muçulmana uigure.

A medida foi acertada em nível de embaixadores nesta quarta-feira (17) e deve ser referendada pelos ministros das Relações Exteriores em uma cúpula na próxima segunda (22), como parte de um pacote que também vai mirar dirigentes de países como Rússia, Coreia do Norte, Eritreia, Sudão do Sul e Líbia.

Se confirmadas, essas serão as primeiras sanções europeias contra a China desde o embargo à venda de armas imposto em 1989, após o Massacre da Praça da Paz Celestial, palco de uma repressão violenta a manifestantes pró-democracia.

A minoria uigure habita sobretudo a região de Xinjiang, no noroeste da China, cujo governo é acusado de internar centenas de milhares de muçulmanos em campos de trabalho forçado.

Um relatório da Universidade de Nankai divulgado de forma acidental mostra que as ações de Pequim já conseguiram dispersar os uigures para reduzir sua concentração em Xinjiang. O documento ainda aponta um "genocídio cultural" contra a minoria. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA