EMA aprova fábrica de produção de doses da AstraZeneca

EMA aprova fábrica de produção de doses da AstraZeneca
EMA aprova fábrica de produção de doses da AstraZeneca (foto: EPA)
19:20, 26 MarBRUXELAS ZCC

(ANSA) - A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) aprovou nesta sexta-feira (26) uma fábrica de produção da vacina anti-Covid desenvolvida pelo laboratório AstraZeneca na Holanda, que centraliza uma disputa entre a União Europeia (UE) e o Reino Unido devido aos atrasos no fornecimento dos imunizantes.

Com a decisão, as doses fabricadas na Halix, subcontratada da AstraZeneca, poderão ser comercializadas na UE "Esperamos agora que as vacinas produzidas a partir desta unidade sejam entregues aos Estados-membros da UE nos próximos dias como parte da obrigação contratual e compromisso da AstraZeneca para com os cidadãos europeus", afirmou a comissário europeia para a Saúde, Stella Kyriakides.

Hoje, a EMA também deu aval para o funcionamento de uma fábrica de produção das doses da Pfizer/BioNTech em Marburgo, na Alemanha, e outra de fabricação da vacina Moderna na Suíça.

Com a aprovação da unidade alemã, a fábrica conseguirá colaborar com mais 2 bilhões de doses da vacina da Pfizer até 2021, segundo fontes da gigante farmacêutica dos Estados Unidos.

"A aprovação torna a BioNtech Marburgo uma das maiores fábricas de vacinas de mRNA na Europa e no mundo, com capacidade de produção de até um bilhão de doses, uma vez totalmente operacional", afirmou a Pfizer em comunicado.

Além disso, a EMA autorizou o armazenamento da vacina da Pfizer/BioNTech na temperatura de um congelador, ou seja, maior do que a permitida até o momento. Desta forma, será permitido o transporte e armazenamento dos frascos para os imunizantes em temperaturas entre -25 e -15ºC (a temperatura dos freezers para medicamentos padrão) por um período único de duas semanas.

"Esta é uma alternativa ao armazenamento de longo prazo dos frascos a uma temperatura entre -90 e -60ºC", de acordo com a agência.

A EMA reforça que espera "facilitar a distribuição rápida da vacina na União Europeia (UE), reduzindo a necessidade de condições de armazenamento a temperaturas extremamente baixas".

Segundo a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, as medidas foram tomadas porque a prioridade da UE é aumentar a capacidade de produção de vacinas no bloco. "Ter mais locais de produção significa dar aos europeus acesso mais rápido às vacinas", finaliza. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA