UE aprova retorno de turistas dos EUA mesmo não vacinados

Decisão incluiu ainda outros 8 países; Brasil continua de fora

Decisão deve beneficiar cidadãos de mais 9 países que têm a pandemia sob controle
Decisão deve beneficiar cidadãos de mais 9 países que têm a pandemia sob controle (foto: ANSA)
08:38, 16 JunBRUXELAS ZGT

(ANSA) - Os representantes dos 27 países-membros da União Europeia aprovaram nesta quarta-feira (16) a revogação das restrições de viagens para turistas dos Estados Unidos, mesmo que não estiverem vacinados contra a Covid-19, informam fontes de Bruxelas.

Os embaixadores decidiram atualizar a lista de nações permitidas e incluíram ainda outros oito países: Albânia, Macedônia do Norte, Sérvia, Líbano, Taiwan, Macau e Hong Kong. Nenhum país da América Latina, incluindo o Brasil, teve qualquer tipo de alívio nas restrições.

Segundo informam as fontes, a decisão usou como base a situação epidemiológica de combate à Covid-19 nessas nações e o andamento das campanhas de vacinação contra o coronavírus Sars-CoV-2. Um dos principais índices utilizados é a liberação de pessoas que estejam em territórios que tenham menos de 75 casos da doença a cada 100 mil habitantes - os EUA estão em 73,5.

Com isso, esses países se unem a Japão, Austrália, Israel, Nova Zelândia, Ruanda, Singapura e Coreia do Sul, que foram as primeiras nações fora do bloco a receberem autorização para visitar os 27 Estados-membros.

A decisão, porém, não impede que os governos nacionais adotem medidas de controle sanitário, como a imposição da obrigatoriedade de testes negativos para a doença ou de quarentenas.

As fontes europeias ainda informaram que a UE está em contato com Washington para um mútuo reconhecimento dos certificados sanitários para comprovar a vacinação, a negatividade para os testes ou a cura da doença. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA