Líderes da UE pedem cooperação com países de origem de migrantes

Conclusão foi adotada durante reunião dos países do bloco

Conselho Europeu condenou qualquer tentativa de exploração dos migrantes
Conselho Europeu condenou qualquer tentativa de exploração dos migrantes (foto: ANSA)
21:04, 24 JunBRUXELAS ZCC

(ANSA) - Os líderes dos 27 países-membros da União Europeia(UE) adotaram nesta quinta-feira (24) conclusões sobre a crise migratória, solicitando uma cooperação mútua para reforçar ações concretas e apoiar os países de origem e de trânsito dos migrantes.

"O Conselho Europeu debateu a situação migratória nas várias rotas. Apesar das medidas adotadas pela UE e os Estados-membros reduzirem os fluxos irregulares gerais nos últimos anos, os desenvolvimentos em algumas rotas causam sérias preocupações e requerem vigilância contínua e ação urgente", diz o documento.

Os líderes concluíram também que, "para prevenir a perda de vidas humanas e reduzir a pressão nas fronteiras da Europa, serão intensificadas as parcerias e cooperação mutuamente benéficas com os países de origem e de trânsito, como parte integrante da ação externa da União Europeia".

Segundo os representantes dos países do bloco, esta abordagem "será pragmática, flexível e personalizada" e fará uso coordenado "de todos os instrumentos e incentivos disponíveis na UE", além de ter lugar em estreita cooperação com o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) e com a Organização Internacional para as Migrações (OIM).

"Deve abordar todas as rotas e ser baseada em uma abordagem global, abordando as causas profundas, apoiando refugiados e pessoas deslocadas na região, desenvolvendo capacidades de gestão de migração, erradicando o contrabando e o tráfico, fortalecendo o controle de fronteiras, abordando a migração legal de acordo com as competências nacionais e garantindo o repatriamento e readmissão", acrescenta o texto final.

Por fim, os líderes convidam a Comissão e o Alto Representante a apresentarem, no outono deste ano, planos de ação para os países prioritários de origem e de trânsito, "indicando objetivos claros, novas medidas de apoio e calendários concretos".

Além disso, o "Conselho Europeu condenou e rejeitou qualquer tentativa de países terceiros de explorar os migrantes para fins políticos". (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA