Israel tem maior quantidade de casos de Covid desde fevereiro

Com alta na disseminação, regras para viajantes são endurecidas

Israel vem enfrentando alta nos casos com disseminação da Delta
Israel vem enfrentando alta nos casos com disseminação da Delta (foto: EPA)
10:59, 10 AgoH?OLON ZGT

(ANSA) - Israel registrou 6.275 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, batendo um recorde de contágios diários desde o início de fevereiro, informou o Ministério da Saúde nesta terça-feira (10). Também chegou ao maior nível no período a quantidade de pessoas internadas em situação grave, com 394 hospitalizações.

Já as mortes, apesar de não acompanharem o ritmo de alta dos casos, somam 6.599 desde o início da crise sanitária, sendo que 82 ocorreram desde o começo de agosto, uma média de cerca de oito por dia.

A principal responsável pela alta na disseminação é a variante Delta, que se espalhou pelo país no momento em que as regras sanitárias foram todas revogadas. Por isso, as autoridades voltaram atrás em algumas das medidas, como a exigência do uso de máscaras em locais fechados, em escolas, hospitais e nas viagens de avião.

Também foi recomendada a volta do trabalho remoto para quem puder, a necessidade de distanciamento social em locais com muitas pessoas e o pedido para que os israelenses voltem a evitar "beijos e abraços" com pessoas que não vivam na mesma residência.

Além disso, o governo determinou a aplicação da terceira dose da vacina da Pfizer/BioNTech nas pessoas com mais de 60 anos e nos vulneráveis, mesmo que não haja estudo comprovando um aumento de eficácia nessa prática.

Segundo dados do próprio governo, 5,8 milhões de israelenses já tomaram a primeira dose, 5,4 milhões completaram o ciclo vacinal e quase 578 mil receberam a terceira dose.

Em percentual, o portal Our World in Data, aponta que 67,2% dos israelenses alvo da campanha, que são as pessoas acima dos 12 anos, iniciaram a vacinação, sendo que 62,3% já receberam as duas doses.

"Estamos todos em um ponto crítico: para a nossa saúde, para a nossa vida e para a economia", disse em coletiva o coordenador da luta contra a pandemia do coronavírus Sars-CoV-2, Salman Zarka, reforçando o apelo para que as pessoas se vacinem e cumpram com as regras sanitárias.

O país chegou a ter uma média de apenas cinco novos casos por dia antes da flexibilização total por conta da vacinação muito acelerada e chegou a ficar por várias semanas sem o registro de óbitos. No entanto, as autoridades de saúde informaram que notaram uma redução de 30% na eficácia da vacina Cominarty nos novos casos da variante Delta - apesar dos casos graves e mortes continuarem com um índice altíssimo de eficácia, de 93%.

Novas regras para viajantes

Com a alta nos casos, Israel voltou a exigir a quarentena para visitantes ou moradores que estão indo ou voltando de cerca de 30 países - que já estavam com as regras mais afrouxadas.

O Ministério da Saúde informou que quem estiver chegando ao território dessas nações, em lista que inclui Itália, Reino Unido, Espanha, Rússia, Turquia e Chipre, precisará cumprir uma quarentena obrigatória estando vacinado ou não.

Além disso, permanece a exigência de apresentar teste negativo para a Covid-19 no desembarque. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA