Ministro alemão reconhece erro de avaliação no Afeganistão

Maas falou sobre avanço dos extremistas por todo território

Heiko Maas admitiu erro da Alemanha e de seus aliados sobre o avanço do Talibã
Heiko Maas admitiu erro da Alemanha e de seus aliados sobre o avanço do Talibã (foto: EPA)
14:45, 16 AgoBERLIM ZGT

(ANSA) - O ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Heiko Maas, reconheceu nesta segunda-feira (16) o erro de avaliação que seu país e as nações ocidentais fizeram sobre a situação no Afeganistão e sobre a rápida tomada de poder do Talibã.

"Não há mais nada a dizer. Todos nós, o governo, os serviços de Inteligência, a comunidade internacional.... julgamos mal a situação. A honestidade exige essa admissão de todas as formas", disse em coletiva de imprensa em Berlim.

Assim como os demais aliados da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), a Alemanha precisou acelerar a retirada de diplomatas e demais cidadãos de Cabul durante o domingo (15), dia em que os extremistas tomaram a capital e o presidente Ashraf Ghani fugiu para um local desconhecido.

Sobre as imagens do aeroporto Hamid Karzai, lotado de pessoas desesperadas para fugir de Cabul, Maas afirmou que as cenas "são extremamente dolorosas" e que a Alemanha tentará "salvar o máximo de pessoas possível".

Questionado se o país irá revisar as políticas migratórias, o ministro disse que as regras devem ser ampliadas para os afegãos nesse momento, e que o governo deve levar nos voos oficiais para seu território também funcionários de organizações não governamentais que lutam pelos direitos humanos.

Desde a semana passada, o governo alemão informou que suspendeu as expulsões de migrantes irregulares por conta da situação crítica que o Afeganistão vivia. Agora que os extremistas do Talibã voltaram a controlar todo o território nacional, a medida deve ser mantida por tempo indeterminado.

Merkel se manifesta

Horas depois de Maas, foi a vez da chanceler Angela Merkel responder perguntas dos jornalistas sobre a situação e seguiu a mesma linha de seu ministro.

"Foi uma avaliação errada. Não uma avaliação errada da Alemanha, mas todos nós erramos. Nós não atingimos o que nos propusemos", disse a chanceler.

Merkel ainda afirmou que a prioridade de seu governo será evacuar civis do Afeganistão o mais rápido possível. "Em primeiro lugar, há as operações de evacuação. Precisamos retirar o máximo possível de pessoas de lá", ressaltou Merkel aos jornalistas. (ANSA).

   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA