ONU aprova resolução que pede para Talibã respeitar direitos humanos

Conselho de Segurança se reuniu para debater crise no Afeganistão

Conselho de Segurança se reuniu para debater crise no Afeganistão (foto: ANSA)
19:28, 30 AgoNOVA YORK ZCC

(ANSA) - O Conselho de Segurança das Nações Unidas adotou nesta segunda-feira (30) uma resolução sobre o Afeganistão na qual pede aos talibãs que respeitem os direitos humanos e cumpram suas promessas de permitir que afegãos e cidadãos estrangeiros saiam de forma "segura" do país asiático.

O texto, elaborado pelos Estados Unidos, França e Reino Unido, foi aprovado com 13 dos 15 votos, sendo que somente China e Rússia se abstiveram.

O documento não menciona a "zona de segurança" citada pelo presidente francês, Emmanuel Macron, e que prevê a criação de uma área para permitir a continuação das "operações humanitárias".

No entanto, reafirma "a importância de apoiar os direitos humanos, incluindo o das mulheres, das crianças e das minorias", e "encoraja" a aplicação de uma solução política "inclusiva" com uma participação "significativa" das mulheres.

Além disso, é feito um apelo para fortalecer os esforços para fornecer assistência humanitária para permitir uma saída "segura" e ordenada dos afegãos e de todos os cidadãos estrangeiros do país e autorizar o acesso da ONU.

A resolução ainda pede que o território afegão não seja utilizado para "ameaçar ou atacar" outras nações nem se torne uma base para o terrorismo. O Conselho de Segurança "espera que o Talibã cumpra esses e todos os outros compromissos", diz o texto, considerado mais superficial do que o esperado.

"À medida que o Afeganistão entra em seu próximo capítulo, é imperativo que a comunidade internacional permaneça unida e decidida, inclusive tornando o Talibã responsável por seus compromissos, entre eles o de deixar os afegãos que desejam sair do país", ressaltou a embaixadora dos EUA na ONU, Linda Thomas-Greenfield. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA