EUA cogitam coordenação com Talibã contra EI

Mesmo bebendo da mesma fonte, os grupos islâmicos são rivais

Combatentes do Talibã no Aeroporto Internacional de Cabul, capital do Afeganistão
Combatentes do Talibã no Aeroporto Internacional de Cabul, capital do Afeganistão (foto: EPA)
14:06, 02 SetROMA ZLR

(ANSA) - O chefe do Estado Maior do Exército dos EUA, general Mark Milley, cogitou a hipótese de tentar uma coordenação com o Talibã em eventuais operações antiterroristas contra o Estado Islâmico (EI) no Afeganistão.

Apesar de ambos pregarem uma versão radical do islamismo sunita, os dois grupos são rivais, já que o EI acusa os talibãs de abandonarem a causa jihadista.

"É possível", disse Milley em uma coletiva de imprensa, ao responder sobre uma possível coordenação com os novos governantes afegãos no combate ao terrorismo. "Na guerra, deve-se fazer aquilo que for preciso para reduzir o risco, e não necessariamente aquilo que você gostaria", acrescentou o chefe do Estado Maior do Exército americano.

A volta do Talibã ao poder no Afeganistão foi possibilitada pela retirada das tropas dos Estados Unidos, que ocupavam o país asiático desde 2001. A saída é fruto de um acordo assinado ainda por Donald Trump com os fundamentalistas islâmicos, mas é alvo de críticas por ter sido implantada por Joe Biden de maneira caótica.

Durante a evacuação, um atentado suicida do EI no aeroporto de Cabul matou quase 200 pessoas, incluindo 13 cidadãos americanos. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA