Após 20 anos, Nova York identifica 2 vítimas do 11 de setembro

Novas tecnologias estão sendo usadas para identificar mortos

Reconhecimentos de vítimas são os primeiros desde outubro de 2019
Reconhecimentos de vítimas são os primeiros desde outubro de 2019 (foto: EPA)
12:47, 09 SetSÃO PAULO ZGT

(ANSA) - Após quase 20 anos, duas vítimas dos ataques terroristas no World Trade Center em 11 de setembro de 2001 foram identificadas, informou o governo da cidade de Nova York. Dorothy Morgan é a vítima de nº 1.646 e um homem que a família pediu privacidade é a nº 1.647.

"Há 20 anos, nós fizemos uma promessa às famílias das vítimas do World Trade Center que faríamos o que fosse possível pelo tempo que fosse necessário para identificar seus entes queridos, e com essas duas novas identificações, nós continuamos a cumprir essa obrigação sagrada", disse a médica Barbara Sampson, chefe do Escritório de Exames Médicos da cidade de Nova York (OCME).

Conforme a nota oficial, a identificação de Morgan foi possível graças a identificação do DNA de um fragmento de osso recolhido em 2001. Já do homem, os restos mortais recolhidos em 2001, 2002 e 2006.

Até hoje, 1.106 das 2.753 vidas perdidas nos ataques feitos pela Al Qaeda às Torres Gêmeas ainda não foram identificadas e os reconhecimentos anunciados nesta semana são os primeiros desde outubro de 2019.

O OCME informou que está investindo cada vez mais em novas técnicas de sequenciamento de DNA para tentar identificar o máximo possível dos mortos.

O laboratório do Escritório abriga milhares de fragmentos de ossos e a identificação é bastante difícil não apenas pelo tempo que o ataque ocorreu, mas porque muitos foram contaminados por outros fatores ambientais, como o tempo que ficaram sob os escombros. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA