UE doará 100 milhões de euros em ajuda humanitária para Afeganistão

Von der Leyen fez anúncio durante discurso anual da União

ONU alerta que praticamente todo o país passará a viver abaixo da linha da pobreza em 2022
ONU alerta que praticamente todo o país passará a viver abaixo da linha da pobreza em 2022 (foto: EPA)
10:16, 15 SetBRUXELAS ZGT

(ANSA) - A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, anunciou nesta quarta-feira (15) que o bloco irá doar 100 milhões de euros (R$ 620 milhões) em ajuda humanitária ao povo do Afeganistão.

"Estamos ao lado dos afegãos. Precisamos fazer de tudo para evitar o risco de uma grande carestia e de um desastre humanitário. Por isso, aumentamos a nossa ajuda humanitária para o Afeganistão em mais 100 milhões de euros, que são parte de um novo pacote de apoio", disse durante o tradicional Discurso da União em Bruxelas.

Durante sua fala, a chefe do Executivo ainda pediu que todos fizessem uma reflexão "sobre a forma abrupta" que a missão liderada pelos Estados Unidos e que sempre contou com o apoio da UE teve no país.

Apesar de ter fechado um acordo com os talibãs em 2019, ainda no governo de Donald Trump, a retirada das tropas internacionais foi marcada pelo caos entre os dias 15 e 31 de agosto. Isso porque os fundamentalistas conquistaram Cabul no dia 15 de agosto, após retomarem praticamente todo o território nacional em menos de 10 dias.

"Precisamos garantir que a missão dos soldados e trabalhadores humanitários nunca foi em vão", pontuou ainda.

A Organização das Nações Unidas (ONU) vem pedindo que os países ajudem financeiramente o povo afegão - não através do governo do Talibã, mas por meio de organizações humanitárias que atuam no país.

Em um relatório recente, a entidade aponta que 97% da população pode ter que viver abaixo da linha da pobreza a partir de 2022 - atualmente, esse número é altíssimo e está em 72%.

Há ainda o risco de que um milhão de crianças passem fome já neste ano, deixando mais de 10 milhões de pequenos em situação de insegurança alimentar. Também é previsto que o número de deslocados chegue a 500 mil entre agosto e dezembro.

Além da doação da UE, a ONU está buscando arrecadar fundos entre os países-membros. Segundo fontes diplomáticas, as nações se comprometeram a doar cerca de US$ 1 bilhão que serão enviados diretamente ou por meio do órgão.

A França anunciou uma doação individual de 100 milhões de euros (R$ 620 milhões) e os Estados Unidos divulgaram que doarão US$ 75 milhões (quase R$ 394 milhões). (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA