Rússia é responsável por morte de Litvinenko, diz Corte Europeia

Espião foi morto por envenenamento em 2006 no Reino Unido

Litvinenko foi morto em novembro de 2006 por envenenamento
Litvinenko foi morto em novembro de 2006 por envenenamento (foto: ANSA)
08:36, 21 SetESTRASBURGO ZGT

(ANSA) - A Corte Europeia de Direitos Humanos afirmou nesta terça-feira (21) que a Rússia é "responsável" pelo assassinato do espião e opositor Alexander Litvinenko, 43 anos, e determinou que o atual governo pague 100 mil euros para a viúva por violação do direito à vida.

Litvinenko foi morto por envenenamento com polônio 210, uma substância radioativa, em 2006, enquanto morava como asilado em Londres, no Reino Unido. Ele chegou a ser internado, mas faleceu em 23 de novembro daquele ano.

Segundo os juízes, os russos Andrei Lugovoy e Dmitri Kovtun executaram o crime, mas há "fortes indícios" de que eles mataram o espião por ordens de Moscou. O russo fugiu do país após virar um ferrenho opositor de Vladimir Putin.

"A Corte considerou em particular que havia um forte caso prima facie [evidente] de que, ao envenenar Litvinenko, Lugovoy e Kovtun estavam agindo como agentes do Estado russo", disseram os magistrados.

A sentença ainda ressalta que a Rússia não investigou o crime de maneira adequada e não puniu os responsáveis pelo assassinato.

Após a decisão, o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, afirmou que as conclusões sobre o caso "são infundadas" . (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA