Boca de urna aponta empate nas eleições da Alemanha

Cenário indefinido na disputa para suceder Angela Merkel

Eleições apontam cenário disputado na Alemanha
Eleições apontam cenário disputado na Alemanha (foto: ANSA)
14:16, 26 SetROMA ZGT

(ANSA) - Os primeiros resultados da pesquisa de boca de urna das eleições da Alemanha, realizadas neste domingo (26), apontam para um empate entre os dois maiores partidos: o Social-Democrata (SPD) e a União Democrata-Cristã (CDU) tem 25% dos votos.

Essa é a primeira disputa política desde 2005 que não contará com a presença da chanceler Angela Merkel.

O resultado divulgado pela TV pública "ARD" confirma, assim, as previsões das pesquisas de intenção de votos, que mostravam um cenário bastante acirrado para Olaf Scholz e Armin Laschet.

Segundo os dados, Os Verdes se confirmam como a terceira força, com 15% dos votos, seguido pelo Partido Liberal Democrático (FDP) e pelos extremistas de direita do Alternativa para a Alemanha (AfD), ambos com 11%.

Já a Esquerda (Linke) teve 5% dos votos e corre o risco de não superar a cláusula de barreira para entrar no Parlamento, chamado de Bundestag. As demais siglas somam 8%.

O resultado da "ARD" é semelhante a outra boca de urna, feita pela emissora "ZDF", que aponta um empate técnico na disputa, com o SPD com 26% dos votos e a CDU com 24%.

Após os primeiros resultados, os representantes das duas siglas começaram a se manifestar  

"As perdas são amargas. Precisamos ver se há uma forma para constituir uma futura coalizão para o nosso país. A União, o FDP [Liberais-democratas] e Os Verdes podem formar uma boa coalizão", disse o secretário-geral da CDU, Paul Ziemiak.

Por sua vez, Laschet diz que o cenário é indefinido. “É um cabeça a cabeça, o êxito ainda não está claro. Nós colocaremos o máximo de empenho para construir um governo sob a liderança da União”, disse.

Por outro lado, o secretário-geral do SPD, Lars Klingbeil, disse "que sempre soube que seria um cabeça a cabeça, com um descarte muito reduzido", mas que "vimos que há um claro mandato para o SPD e queremos que Olaf Scholz seja o chanceler".

Scholz se manifestou pouco depois. “Estou feliz com o resultado e com os cidadãos querendo que o SPD devem ganhar em todos os lugares. Será uma longa noite, mas é claro que os cidadãos querem uma mudança, e que o próximo chanceler se chame Olaf Scholz”, disse em seus primeiros comentários.

O Bundestag atual tem 709 parlamentares e o próximo pode ter uma oscilação entre 672 a 912 membros por conta do mecanismo de compensação previsto pelo complexo sistema eleitoral, que é baseado em dois votos: um para o partido e outro para mandatos diretos. A posse do novo Parlamento deve ocorrer no dia 26 de outubro.

Se os números forem confirmados, é muito possível que a Alemanha terá uma coalizão de três partidos, algo que não ocorre desde o fim da década de 1950. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA