Ex-secretária nazista que tentou fugir de julgamento é presa

Aos 96 anos, ela será julgada por cumplicidade em 11 mil mortes

Julgamento contra Furchner começou nesta quinta-feira
Julgamento contra Furchner começou nesta quinta-feira (foto: EPA)
10:41, 30 SetITZEHOE ZGT

(ANSA) - A polícia alemã conseguiu prender a ex-secretária do campo de concentração nazista Stutthof, hoje na Polônia, Imgard Furchner, 96 anos, nesta quinta-feira (30). A idosa havia fugido de táxi do asilo onde morava, em Quickborn, poucas horas antes do início do seu julgamento, que a acusa de cumplicidade no assassinato de cerca de 11 mil pessoas.

"Posso dizer que a acusada foi encontrada. Um médico vai estabelecer se ela poderá ser colocada sob custódia e a Justiça determinará se o mandado de prisão pode ser mantido ou se será poupada do cárcere", disse o porta-voz do tribunal de Itzehoe, Frederike Milhoffer.

Furchner foi datilógrafa e secretária do comandante no campo de concentração, Paul Werner Hoppe, entre os anos de 1943 e 1945, onde prestou ajuda no homicídio sistemático dos prisioneiros. Ao todo, cerca de 65 mil pessoas morreram em Stutthof durante o regime nazista, incluindo judeus e soldados poloneses e soviéticos.

À época, ela tinha entre 18 e 20 anos e seu julgamento, atualmente, é o primeiro de uma mulher em décadas na Alemanha.

Essa é a segunda vez que Furchner precisa responder sobre seu "trabalho", sendo que em 1954, ela negou que soubesse dos assassinatos no campo de concentração, mesmo sendo a pessoa responsável por toda a comunicação de Hoppe com os demais dirigentes nazistas. Ela não foi indiciada naquele ano.

O julgamento também ocorre em um momento simbólico, quando se lembram os 75 anos do enforcamento dos 12 principais dirigentes do Terceiro Reich de Adolf Hitler que foram julgados - os demais fugiram ou se mataram. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA