UE anuncia liberação de turistas vacinados para 1º de março

Coronavac também vai ser aceita, mas mediante PCR

Passageiros no terminal de embarque do Aeroporto de Lisboa, em Portugal
Passageiros no terminal de embarque do Aeroporto de Lisboa, em Portugal (foto: EPA)
12:30, 25 NovBRUXELAS ZLR

(ANSA) - O poder Executivo da União Europeia anunciou nesta quinta-feira (25) uma mudança na abordagem do bloco sobre a entrada de turistas provenientes de países extracomunitários.

A partir de 1º de março de 2022, a UE vai recomendar que os Estados-membros autorizem viajantes que tenham sido vacinados contra a Covid-19 com qualquer um dos imunizantes homologados pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

No entanto, segundo a comissária das Relações Internas da UE, Ylva Johansson, os turistas imunizados com fórmulas ainda não aceitas no bloco, como a Coronavac, terão de apresentar resultado negativo de teste PCR.

Atualmente, as regras da UE para entrada de turistas extracomunitários se baseiam no risco epidemiológico de cada país, mas o objetivo de Bruxelas é adotar uma abordagem focada no indivíduo.

"Isso significa que todos os vacinados poderão vir à UE", ressaltou Johansson. Caberá, no entanto, a cada Estado-membro decidir se aplica ou não as recomendações da União Europeia, que também sugeriu uma validade máxima de nove meses para os certificados de vacinação.

"Depois de nove meses, o certificado não deve ser aceito, a menos que a pessoa tenha tomado um reforço", explicou o comissário da Justiça da UE, Didier Reynders.

"Para o reforço, não existem estudos próprios sobre sua eficácia, então não é possível determinar um período de aceitação. Contudo, tendo em vista os dados, é possível esperar que a proteção com o reforço dure mais que aquela resultante da vacinação primária", acrescentou. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA