Espanha volta a exigir máscaras ao ar livre para conter Covid

Espanha volta a exigir máscaras ao ar livre para conter Covid
Espanha volta a exigir máscaras ao ar livre para conter Covid (foto: EPA)
19:42, 22 DezMADRID ZCC

(ANSA) - O recrudescimento da pandemia de Covid-19 na Espanha levou o governo a reintroduzir a obrigatoriedade do uso de máscaras ao ar livre, anunciou o premiê Pedro Sánchez nesta quarta-feira (22).

"Fica estabelecida a obrigatoriedade do uso de máscaras em ambientes externos", destacou o governo em nota divulgada no momento em que ocorria uma reunião entre Sánchez e os líderes das comunidades autônomas do país para debater medidas contra a propagação da variante Ômicron.

Até agora, a obrigatoriedade do uso da máscara ao ar livre era exigida por lei caso, em qualquer ambiente, não fosse possível manter uma distância segura dos demais.

"Estamos a falar de uma nova variante, muito mais contagiosa", disse Sánchez, acrescentando que neste momento existem "encontros fortes", por exemplo para as compras de Natal, e por isso "o momento é suficientemente adequado" para impor "barreiras" que limitam as infecções.

O premiê espanhol disse ainda que "a esmagadora maioria" dos governadores concorda com esta medida. Por outro lado, representantes de diversos partidos têm criticado a decisão do governo em declarações à mídia e nas redes sociais.

Sánchez afirmou também que o governo vai mobilizar o exército para "acelerar a campanha de vacinação", estabelecendo algumas novas metas, como por exemplo, que 80% dos maiores de 60 anos sejam vacinados com a terceira dose até o final do ano ou que 70% das crianças entre 5 e 11 anos recebem a primeira dose até 7 de fevereiro.

Além disso, haverá o fortalecimento do sistema de atenção primária à saúde e a disponibilização de mais exames aos cidadãos para o diagnóstico de Covid.

As medidas são anunciadas no dia em que o país registrou 60.041 casos de Covid em 24 horas, quase 11 mil a mais do que os notificados no dia anterior, de acordo com o último boletim do Ministério da Saúde.

A incidência em 14 dias foi de 695 infecções por 100 mil habitantes para 784. Por outro lado, a taxa de ocupação das unidades de terapia intensiva permanece inalterada (15,77%), com menos seis pacientes, enquanto a das enfermarias cresce de 6,14% para 6,23%.

Ao todo, 50 mortes foram registradas entre ontem e hoje, elevando para 88.937 o total de óbitos desde o início da pandemia. Quanto à vacinação, mais de 43% dos imunizados com mais de 40 anos também receberam uma dose de reforço, enquanto 17,8% das crianças de 5 a 11 anos foram vacinadas com a primeira dose. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA