Zelensky lança campanha mundial para recolher fundos

Nesta quinta, também ocorre conferência de doadores na Polônia

Dinheiro será usado para defesa, reconstrução e ajuda humanitária (foto: EPA)
11:11, 05 MaiKIEV ZGT

(ANSA) - O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, lançou nesta quinta-feira (5) uma campanha mundial para recolher fundos para ajudar a Ucrânia durante a guerra contra a Rússia.

"Em um clique, você pode doar fundos para nossos defensores, para salvar nossos cidadãos e para reconstruir a Ucrânia. Cada doação importa para a vitória", disse o mandatário em um vídeo publicado para lançar a plataforma United24.

Segundo informa o site, o primeiro relatório sobre valores arrecadados será publicado no próximo dia 12 e os pagamentos podem ser feitos por transferência bancária, cartão de crédito ou em criptomoedas.

O portal ainda dá a opção para que as pessoas escolham dar o dinheiro em três categorias: "defesa e desminagem"; "ajuda médica"; e "reconstruir Ucrânia".

Conferência Doadores

O lançamento da campanha ocorre no mesmo dia que uma nova rodada da conferência de doadores está sendo realizada em Varsóvia, na Polônia. O evento busca arrecadar valores por parte de instituições, governos e também sociedade civil.

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, anunciou, ao chegar ao local do evento, que o bloco está fazendo mais uma doação aos ucranianos.

"Estou feliz de anunciar aqui na conferência dos doadores mais 200 milhões de euros em ajuda humanitária da União Europeia para a Ucrânia. Com esse novo compromisso, nós dizemos ao povo ucraniano: a sua luta é a nossa luta e nós estamos com você", afirmou a chefe do Executivo.

Segundo Von der Leyen, "nós não podemos igualar a coragem e o sacrifício do povo ucraniano", mas "nós estamos ao lado de vocês sustentando com a nossa força econômica", acrescentou lembrando dos 4 bilhões de euros já enviados ao país.

Também representando o bloco, o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, afirmou que quer que o evento de Varsóvia "seja um ponto de partida para um Plano Marshall europeu para a Ucrânia".

"Precisamos enviar um sinal forte que apoiaremos a Ucrânia o máximo possível. Agora, neste século, a guerra contra a Ucrânia é uma tragédia humana, o que significa que os líderes com visão de futuro devem levantar-se hoje e dar um sinal que seremos corajosos, firmes e aptos a sustentar a Ucrânia não só com palavras, precisamos de decisões, de dinheiro, de uma forte coordenação e de vontade política", pontuou.

Do governo ucraniano, foi a Varsóvia o primeiro-ministro Denys Shmyhal, que fez um discurso na abertura dos trabalhos.

"Não queremos só reconstruir o que éramos, queremos construir um país europeu novo, moderno, verde. Queremos fazer isso logo, queremos entrar na UE logo. Entendemos que nossos objetivos são ambiciosos, mas queremos reconstruir um país de sonho", pontuou.

Ao fim do evento, foi anunciado que foram arrecadados mais de 6 bilhões de euros em ajuda.

"Nesta conferência, nós conseguimos recolher mais de 6 bilhões de euros e esse dinheiro será enviado e distribuído para o apoio da Ucrânia e de todos aqueles que apoiam a Ucrânia", disse o premiê polonês, Mateusz Morawiecki. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA