Governo fantoche de Kherson vai pedir anexação à Rússia

Região ucraniana foi tomada por Moscou no início da guerra

'Kherson é Ucrânia', diz cartaz de torcedora durante amistoso entre Basel e Dínamo de Kiev na Suíça, em 4 de maio
'Kherson é Ucrânia', diz cartaz de torcedora durante amistoso entre Basel e Dínamo de Kiev na Suíça, em 4 de maio (foto: EPA)
14:56, 11 MaiROMA ZLR

(ANSA) - O governo fantoche da região de Kherson, no sul da Ucrânia, anunciou nesta quarta-feira (11) que vai pedir seu ingresso na Federação Russa sem a realização de um plebiscito.

De acordo com o vice-presidente da administração regional empossada por Moscou, Kirill Stremousov, a consulta popular realizada na Crimeia "de modo absolutamente legal não foi reconhecida pela comunidade mundial".

"Por isso, será um único decreto baseado no apelo da liderança da região de Kherson ao presidente Vladimir Putin. O pedido será para tornar Kherson um membro pleno da Federação Russa", declarou Stremousov.

A região já começou a utilizar o rublo paralelamente à moeda ucraniana, a grívnia, e daqui a quatro meses pretende usar exclusivamente a divisa russa.

Kherson fica no estuário do rio Dnipro, porta de acesso para a Crimeia anexada, e foi conquistada pela Rússia logo no início da invasão. Devido à sua posição estratégica, pode ser usada como base para uma possível ofensiva contra Odessa, principal cidade portuária da Ucrânia.

Em seu perfil no Twitter, Mikhailo Podolyak, assessor do presidente Volodymyr Zelensky, ironizou a tentativa de anexação de Kherson. "Os invasores podem pedir para se juntar até a Marte ou Júpiter. O Exército ucraniano vai libertar Kherson, não importa que jogo de palavras eles façam", escreveu. (ANSA)  

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA