Hackers russos reforçam ataques a aliados de Kiev, diz Microsoft

Segundo relatório, EUA e pelo menos 42 países foram afetados

Segundo relatório, EUA e pelo menos 42 países foram afetados
Segundo relatório, EUA e pelo menos 42 países foram afetados (foto: Ansa)
15:27, 22 JunWASHINGTON ZCC

(ANSA) - Um relatório da Microsoft revelou nesta quarta-feira (22) que agências de inteligência russas aumentaram o ritmo de ataques cibernéticos contra vários alvos nos Estados Unidos e em outros países pró-Kiev.

Na tentativa de iniciar uma guerra cibernética global após Moscou invadir a Ucrânia, em 24 de fevereiro, os hackers russos tentaram se infiltrar nas redes de 128 organizações nos EUA e em outros 42 países.

Segundo o relatório, os criminosos obtiveram sucesso em quase 30% dos casos. "Os aspetos cibernéticos da guerra atual vão muito além da Ucrânia e refletem a natureza única do ciberespaço", disse o presidente da Microsoft, Brad Smith, citado pela imprensa norte-americana.

Entre os alvos estão os sites dos ministérios das Relações Exteriores dos países da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), organizações humanitárias, que prestam ajuda a refugiados ucranianos, bem como think tanks, grupos de Tecnologia da Informação e empresas de energia.

"Os alvos pareciam ser principalmente governos, embora também incluíssem grupos de reflexão, grupos humanitários e fornecedores de infraestruturas indispensáveis", indicou o relatório.

Recentemente, investigadores já teriam identificados vários ciberataques destrutivos contra entidades ucranianas por parte de grupos de hackers apoiados pelo governo russo desde o início do conflito no país vizinho. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA