/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Negociações com Israel estão em 'ponto morto', diz Hamas

Negociações com Israel estão em 'ponto morto', diz Hamas

ROMA, 04 abril 2024, 11:57

Redação ANSA

ANSACheck

Premiê de Israel estaria colocando obstáculos em acordo © ANSA/EPA

(ANSA) - O representante do Hamas em Beirute, Osama Hamdan, afirmou nesta quinta-feira (4) que as negociações com Israel sobre um cessar-fogo na Faixa de Gaza "estão em ponto morto".

Durante uma coletiva de imprensa na capital libanesa, ele confirmou que "até agora não houve progresso nas negociações e que elas estão paralisadas, apesar da alta flexibilidade positiva demonstrada [pelo Hamas] para facilitar a obtenção de um acordo".

Segundo Hamdan, a "posição de negociação" do grupo fundamentalista é a apresentada no último dia 14 de março as mediadores do Egito e do Catar.

"Continuamos a apelar ao fim da agressão militar e à retirada das forças de ocupação da Faixa de Gaza, para devolver os deslocados às suas casas, especialmente no norte da Faixa, intensificar o acesso humanitário, iniciar o trabalho de reconstrução e uma verdadeira troca de prisioneiros", explicou.

Para o representante do Hamas, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, está colocando obstáculos que impedem ambas as partes de alcançar um acordo, e que ele "não está interessado" em libertar reféns israelenses.

"O governo de ocupação ainda está fugindo e as negociações estão presas em um círculo vicioso", concluiu.

As negociações para um cessar-fogo na guerra deflagrada por Israel contra o Hamas na Faixa de Gaza desde 7 de outubro de 2023, depois de um ataque do grupo, são realizadas pelo Egito e Catar, apoiadas pelos Estados Unidos.

No entanto, até agora, os esforços não levaram a uma trégua porque o Hamas tem interesse em garantir o fim da ofensiva, enquanto Israel prefere um tratado para libertar prisioneiros por reféns e recusa-se a se comprometer e encerrar o conflito. 
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Ou use