/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

UE e EUA querem reduzir dependência da energia nuclear russa

UE e EUA querem reduzir dependência da energia nuclear russa

Conselho de Energia aprovou foco em pequenos reatores nucleares

BRUXELAS, 04 abril 2023, 10:59

Redação ANSA

ANSACheck

Energia nuclear está na pauta da descarbonização © ANSA/EPA

(ANSA) - A União Europeia e os Estados Unidos realizaram um "Conselho de Energia" nesta terça-feira (4) e confirmaram que atuarão juntos para reduzir a dependência de ambos da Rússia no setor nuclear.

Em nota oficial após o evento, os representantes afirmaram que vão "intensificar a cooperação para reduzir a dependência da Rússia sobre materiais nucleares e os serviços do ciclo dos combustíveis" e que apoiam "os esforços atuais por parte dos Estados-membros da UE em diversificar os fornecedores de combustíveis nucleares".

Além disso, o bloco e o país informaram que vão realizar um novo fórum de alto nível focado nos pequenos reatores nucleares modulares "até o fim deste ano".

"UE e EUA concordam com o papel que a energia nuclear pode desenvolver na descarbonização dos sistemas energéticos dos países que decidiram ou vão decidir confiar nessa tecnologia", acrescentam ainda.

O comunicado reafirma a postura da União Europeia e dos Estados Unidos em condenar a invasão russa na Ucrânia e os temores pelas "perigosas ações russas" na central nuclear de Zaporizhzhia, a maior do tipo na Europa.

"Damos pleno apoio aos trabalhos da Agência Internacional para Energia Atômica (Aiea) voltados para a aplicação de medidas para assistir a Ucrânia em seus esforços para gerir a segurança nuclear e a proteção de suas plantas nucleares", pontuam.

A central de Zaporizhzhia foi tomada por militares russos logo nos primeiros dias de conflito, em fevereiro de 2022, e ataques próximos a área do complexo são registrados desde então.

As ações são realizadas tanto pelos ucranianos como pelos russos.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Ou use