/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

União Europeia chega a acordo para aumentar produção de munições

União Europeia chega a acordo para aumentar produção de munições

Medida visa reconstituir estoque do bloco e apoiar a Ucrânia

BRUXELAS, 07 julho 2023, 13:59

Redação ANSA

ANSACheck

União Europeia vai aprovar aumento na produção de munições © ANSA/EPA

(ANSA) - A União Europeia chegou a um acordo político para aumentar a produção de munições em 1 milhão de peças por ano.

A Lei de Apoio à Produção de Munições (Act in Support of Ammunition Production, ou ASAP, em inglês) foi apresentada em maio pelo poder Executivo do bloco e prevê um fundo de 500 milhões de euros (R$ 2,6 bilhões na cotação atual) para o co-financiamento de projetos industriais para esse tipo de produção.

O plano deverá contribuir para aumentar a entrega de artilharia à Ucrânia em apoio na guerra contra a Rússia.

No Twitter, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, falou sobre a aprovação: "A ASAP vai aumentar a capacidade produtiva da UE e reconstituir os estoques. Isso vai acelerar a entrega de munições nessa fase crucial da guerra".

A presidente do Parlamento Europeu, Roberta Metsola, também comemorou o acordo. "Nosso apoio à Ucrânia não irá diminuir enquanto for necessário. Estamos orgulhosos do rápido acordo entre o Parlamento e os países membros para aumentar a produção", disse ela na mesma rede social.

A decisão também foi bem recebida pelo comissário da UE para o Mercado Interno, Thierry Breton. "Em apenas dois meses, a Europa organizou o programa histórico que vai potencializar sua base industrial de defesa para apoiar a Ucrânia e a segurança do bloco".

O alto representante da UE para Política Externa, Josep Borrell, classificou a medida como "necessária".

Segundo fontes parlamentares, o plano deverá ser votado novamente pela Comissão de Indústria do Parlamento Europeu na próxima segunda-feira (10). Depois, passará pelo voto do plenário na quinta-feira (13).

A expectativa é de que o texto seja sancionado e entre em vigor até o fim do mês de julho.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use