/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Quase 9 em cada 10 moradores da UE aprovam as próprias cidades

Quase 9 em cada 10 moradores da UE aprovam as próprias cidades

Cidades italianas como Roma e Palermo foram mal em pesquisa

BRUXELAS, 12 dezembro 2023, 17:13

Redação ANSA

ANSACheck

Porto de Palermo, na Itália - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

Quase 9 em cada 10 pessoas na Europa estão satisfeitas em viver em suas próprias cidades. É o que revela uma pesquisa do Poder Executivo da União Europeia sobre a qualidade de vida em 83 áreas urbanas importantes na Europa e a satisfação de seus habitantes.

No entanto, como afirma a comissária europeia para Coesão e Reformas, Elisa Ferreira, "a qualidade de vida depende do local em que vivemos e das oportunidades que ele oferece". Apesar dos resultados do relatório mostrarem uma taxa de satisfação "sempre elevada entre os europeus nas cidades da UE" - atingindo em média 87% - na realidade, muitos habitantes de algumas das principais cidades italianas não estão completamente satisfeitos.

Palermo lidera a lista. O índice de satisfação dos cidadãos da capital siciliana fica em 62%. O mais baixo da UE, juntamente com outros indicadores que abrangem diversos temas, desde o trabalho até o transporte urbano, até a administração local.

Apenas 4% dos habitantes de Palermo, por exemplo, acreditam que é fácil encontrar emprego, enquanto apenas 6% consideram sua cidade limpa. Além disso, 50% dos habitantes acham fácil acessar serviços online, e apenas 13% dos cidadãos consideram satisfatório o tempo gasto para resolver uma solicitação ou trâmite na administração pública local.

No entanto, Palermo não está sozinha na parte inferior da classificação em relação a alguns indicadores de qualidade de vida examinados pela pesquisa.

Roma, por exemplo, é a cidade em que os habitantes se sentem menos seguros ao caminhar pela rua à noite, pois apenas 38% não têm medo, em comparação com a média europeia de 69%.

Na capital italiana, os transportes públicos também são percebidos como pouco seguros e pouco confiáveis.

A questão da mobilidade, para a avaliação dos cidadãos, também é um desafio em Palermo, juntamente com Nápoles. A cidade napolitana tem a menor taxa de satisfação para a frequência do transporte urbano (21%), juntamente com a satisfação pelos espaços verdes públicos (31%).

Outras cidades italianas examinadas pela pesquisa, como Turim, Bolonha e Verona, registraram níveis de satisfação geralmente mais altos. A qualidade de vida em todas essas cidades está acima de 80%, aderindo mais à média europeia.
   
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Ou use