/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

'Democracia não está bem de saúde', diz Papa em Trieste

'Democracia não está bem de saúde', diz Papa em Trieste

Pontífice também criticou o consumismo e rezou pela paz no mundo

CIDADE DO VATICANO, 08 de julho de 2024, 10:37

Redação ANSA

ANSACheck
Participação do Papa marcou o encerramento da 50ª Semana Social dos Católicos Italianos © ANSA/AFP

Participação do Papa marcou o encerramento da 50ª Semana Social dos Católicos Italianos © ANSA/AFP

Recebido por milhares de fiéis em Trieste, na Itália, o papa Francisco afirmou neste domingo (7) que a democracia não está bem de saúde.
    Em sua visita ao município, a primeira de um líder da Igreja Católica em 32 anos, marcou o encerramento da 50ª Semana Social dos Católicos Italianos, que teve como tema "no coração da democracia".
    "No mundo de hoje, digamos a verdade, a democracia não está com uma boa saúde. Isto nos interessa e nos preocupa, porque está em jogo o bem do homem e nada do que é humano nos pode ser estranho", disse o religioso.
    O Papa também convidou os fiéis a assumirem as suas responsabilidades, principalmente para não se contentarem com uma "fé marginal ou privada".
    "Isto significa não exigir tanto ser ouvido, mas sobretudo ter a coragem de apresentar propostas de justiça e de paz em debates públicos. Temos algo a dizer, mas não para defender privilégios. Devemos ser uma voz que denuncia e propõe em uma sociedade que muitas vezes não tem voz e onde muitos não têm voz", comentou.
    Entre outros assuntos abordados pelo pontífice, o Papa afirmou que o consumismo "é como um câncer" e destacou que Trieste é uma "porta aberta" para os migrantes que chegam ao território italiano.
    Em meio ao evento, o pontífice teve o auxílio de uma cadeira de rodas nos bastidores, mas depois se levantou e, apoiado em uma bengala, chegou ao posto de discursos.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Ou use