Papa teve papel protagonista em acordo com Farc

Declaração foi feita por representante do Vaticano

10:22, 25 SetROMA ZSG
(ANSA) - Além de ajudar na reconciliação entre Cuba e Estados Unidos, o papa Francisco também "foi protagonista" no acordo entre o grupo guerrilheiro Farc e o governo de Bogotá, que deve ser assinado em cerca de seis meses. Segundo o vice-diretor da sala de Imprensa vaticana, padre Ciro Benedettini, o Pontífice teve "um papel decisivo" nas negociações.
    "A notícia do histórico discurso do Papa no Congresso norte-americano deixou em segundo plano outra notícia importantíssima que teve Francisco como protagonista: os primeiros acordos preliminares de paz entre as Farc e o governo colombiano assinados em Cuba", acrescentou, em entrevista ao veículo italiano "Tv2000".
    Benedettini lembrou que, assim como aconteceu com Cuba e Estados Unidos, Jorge Mario Bergoglio foi um "catalisador" no processo.
    "Desde 2010 que cubanos e norte-americanos negociavam sem nunca chegar a um acordo. Então o Papa interveio diretamente escrevendo [aos presidentes de EUA e Cuba], Barack Obama e Raúl Castro".
    "O Papa depois minimizou seu papel, dizendo ter feito pouco, ter escrito cartas, mas, na realidade, foi determinante, como reconheceram Obama e Raúl Castro. O mesmo papel decisivo teve também o acordo entre o governo da Colômbia e as Farc".
    O governo de Bogotá e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) anunciaram na última quarta-feira (23) um acordo sobre a espinhosa questão das consequências judiciais do conflito, o que abre caminho para colocar um fim definitivo a mais de 50 anos de guerrilha. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA

archivado en