Vaticano começa a julgar 5 pessoas por vazamento de dados

Indiciamento de jornalistas provocou críticas à Igreja

Nuzzi e Fittipaldi foram indiciados pelo Vaticano por publicarem documentos secretos da entidade em dois livros (foto: ANSA)
11:46, 24 NovROMA ZGT

(ANSA) - Começou nesta terça-feira (24) o julgamento de cinco envolvidos no vazamento de documentos sigilosos da Igreja Católica.

 

Entre aqueles que serão ouvidos está o monsenhor espanhol Ángel Vallejo Balda, os ex-funcionários da Comissão de Estudos sobre as Atividades Econômicas da Santa Sé (Cosea) Francesca Chaouqui e Nicola Maio e os jornalistas italianos Emiliano Fittipaldi e Gianluigi Nuzzi.

 

O indiciamento dos dois últimos causou indignação em diversos organismos que defendem a liberdade de imprensa, dizendo que isso "viola" os direitos fundamentais dos jornalistas.

 

Chamado de "Vatileaks 2", por ser semelhante ao caso de vazamento de documentos ocorrido em 2012, o processo investigará documentos sigilosos da Cosea dados para os jornalistas Nuzzi e Fittipaldi. Eles apontam supostos gastos excessivos de religiosos com bens pessoais, desvio de dinheiro de entidades católicas e diversos questionamentos do papa Francisco sobre o uso do dinheiro recebido pela Igreja.

 

Com posse desses dados, Fittipaldi e Nuzzi publicaram dois livros - que já são os mais vendidos da Itália. "Avarizia", escrito pelo primeiro, e "Via Crucis", feito pelo segundo, mostram esses documentos e as dificuldades do Pontífice em fazer reformas dentro da instituição. (ANSA) http://www.papafrancesconewsapp.com/por

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA