Caixão de papa João 23 é deformado em viagem pela Itália

Mão do boneco de cera que representa o Pontífice foi derretida

Caixão de papa João 23 é deformado em viagem pela Itália
Caixão de papa João 23 é deformado em viagem pela Itália (foto: ANSA)
16:00, 25 MaiROMA ZBF

(ANSA) - O corpo do papa João XXIII, conhecido como "o Papa Bom", foi transportado de Roma para Bergamo, região onde nasceu, nesta semana. Mas o trajeto pela Itália deformou o boneco de cera que fica sobre o caixão e representa o corpo do Pontífice.

De acordo com o jornal "Corriere della Sera", o caixão foi transportado em um furgão da capital italiana até a província de Bergamo, localizada perto de Milão, no norte da Itália. Em cima do caixão, há uma escultura em cera, que representa exatamente o corpo e a posição na qual João XXIII foi sepultado.

O caixão fica dentro de uma câmara de vidro, com um gás especial que evita a oxidação do material. No entanto, a temperatura durante a viagem pode ter derretido parte da escultura.

"Em 2000, em Roma, a cera das mãos de João XXIII já tinham sofrido um tipo de aquecimento. A programação em Bergamo não será alterada por causa disso. Quando o caixão voltar para o Vaticano, as mãos serão reconstruídas", disse o secretário-geral da diocese de Bergamo, Giulio Dellavite.

Apesar da tentativa de minimizar o incidente, o jornal "Corriere della Sera" informou que o Vaticano está preocupado com a situação. Além disso, o caso pode gerar um mal-estar político, já que o Exército italiano tinha disponibilizado um avião para transportar o corpo, mas os organizadores do evento em Bergamo recusaram.

O caixão de João XIII ficará exposto ao público em Bergamoaté o dia 10 de junho.

Angelo Giuseppe Roncalli foi eleito Papa em 1958 e morreu em 1963. Devido à sua bondade e simpática, João XXIII mundialmente chamado de "Papa bom" ou "Papa da bondade". Mas, mesmo assim, vários grupos minoritários de católicos tradicionalistas acusavam-no de ser maçom, esquerdista e herege modernista por ter convocado o Concílio Vaticano II e promovido a liberdade religiosa. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA