Papa Francisco pede ‘mudança de mentalidade’ na Igreja

Apelo foi feito em tradicional discurso de Natal à cúria

Papa Francisco pede ‘mudança de mentalidade’ na Igreja
Papa Francisco pede ‘mudança de mentalidade’ na Igreja (foto: ANSA)
13:32, 22 DezCIDADE DO VATICANO ZBF

(ANSA) - O papa Francisco afirmou que a Igreja Católica precisa fazer reformas e se modernizar, pois está "atrasada em 200 anos".
   

A declaração foi dada durante o tradicional discurso de Natal à cúria romana, ocorrido sábado (21), no Vaticano. No encontro, Francisco falou sobre o que espera de 2020 e mencionou as reformas estudadas pelo Conselho de Cardeais, o chamado C6, que está próximo de elaborar uma nova Constituição para a cúria. O texto substituirá a versão anterior promulgada em 1988 pelo papa João Paulo II.
   

De acordo com o argentino Jorge Mario Bergoglio, a Igreja deve se abrir às mudanças, pois a "rigidez" nas maneiras de viver a fé cristão criou "campos minados" de ódio e incompreensão em várias regiões do mundo, tornando o Ocidente dava vez menos católico.

"Hoje não somos mais os únicos que produzem cultura, nem os primeiros. E nem os escutamos. Hoje, as sociedades não são mais um regime de cristianismo, porque a fé não constitui mais um pressuposto óbvio de viver em comunidade", apontou o Papa. "Portanto, é urgente uma mudança de mentalidade na Igreja".
   

"A rigidez que vem do medo da mudança termina disseminando limitações e obstáculos no terreno do bem comum, transformando-se em um campo minado de ódio e incompreensão", afirmou Bergoglio.

"Na grandes cidades, precisamos de outros mapas, outros paradigmas, para nos ajudar a reposicionar nossas maneiras de pensar e nossas atitudes: não estamos mais em tempos cristãos, não mais!", exaltou.

No mesmo dia do discurso à cúria, Francisco anunciou uma nova mudança: a limitação a cinco anos, eventualmente renovável, do mandato de decano do Colégio de Cardeais. Isso, na prática, reduz o poder do decano.

O anúncio coincide ainda com a saída do atual decano, o cardeal italiano Angelo Sodano, de 92 anos, que está no posto desde 2005 e, nos bastidores, não é considerado próximo a Francisco. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA