Papa aceita renúncia de cardeal acusado de ocultar pedofilia

Philippe Barbarin foi absolvido da denúncia em segunda instância

Papa Francisco com o cardeal Philippe Barbarin, em foto de março de 2019
Papa Francisco com o cardeal Philippe Barbarin, em foto de março de 2019 (foto: EPA)
09:09, 06 MarCIDADE DO VATICANO ZLR

(ANSA) - O papa Francisco aceitou nesta sexta-feira (6) a renúncia do arcebispo de Lyon, cardeal Philippe Barbarin, que recentemente foi absolvido em segunda instância de uma acusação de encobrir casos de pedofilia.

A decisão foi anunciada pela Sala de Imprensa da Santa Sé e chega pouco mais de um mês depois da sentença em favor de Barbarin - ainda cabe recurso da acusação. O cardeal havia sido condenado em primeiro grau a seis meses de prisão por supostamente ter ocultado abusos contra menores de idade cometidos pelo ex-padre Bernard Preynat entre 1971 e 1991.

Barbarin teria se omitido entre 2014 e 2015, quando uma das vítimas o procurou para relatar os crimes. O cardeal de 69 anos é um dos principais nomes da Igreja Católica na França e chegou a ter sua renúncia recusada pelo Papa há um ano, mas ainda assim estava afastado do cargo de arcebispo.

Preynat, por sua vez, começou a ser julgado em 14 de janeiro de 2020 e é réu confesso. Segundo ele, os abusos ocorriam "todos os fins de semana, durante acampamentos" de escoteiros. "Podiam ser quatro ou cinco meninos em uma semana", confessou. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA