Fiéis voltam a se reunir no Vaticano para bênção do Papa

Praça São Pedro recebeu público após mais de dois meses fechada

Papa Francisco abençoa fiéis na Praça São Pedro, Vaticano
Papa Francisco abençoa fiéis na Praça São Pedro, Vaticano (foto: EPA)
11:49, 24 MaiCIDADE DO VATICANO ZLR

(ANSA) - Pela primeira vez desde o início da quarentena na Itália, em 10 de março, fiéis voltaram a se reunir na Praça São Pedro, no Vaticano, para uma celebração do papa Francisco.

 Em pouca quantidade e sem aglomerações, católicos acompanharam a oração "Regina caeli", ainda transmitida via streaming da Biblioteca do Palácio Apostólico.

No entanto, ao fim da oração, Francisco apareceu na janela para saudar e abençoar os fiéis reunidos na Praça São Pedro. Com o relaxamento da quarentena na Itália, o Papa já voltou a celebrar missas com presença de público na Basílica de São Pedro e deixou de transmitir suas homilias na Casa Santa Marta pela internet.

Na "Regina caeli" deste domingo, o Pontífice dedicou uma mensagem aos católicos da China e disse que a Igreja universal "compartilha suas esperanças e os apoia em suas provações de vida".

"Unamo-nos espiritualmente aos fiéis católicos na China, que hoje celebram, com particular devoção, a festa da Beata Virgem Maria", afirmou o Papa.

China e Vaticano romperam relações diplomáticas em 1951, quando a Santa Sé reconheceu a independência de Taiwan, que ainda é visto por Pequim como parte de seu território e uma "província rebelde".

Durante décadas, os cerca de 12 milhões de católicos chineses viveram divididos entre uma conferência de bispos escolhida pelo Partido Comunista e um braço da Igreja Apostólica Romana que atuava na clandestinidade.

Em 2018, no entanto, os dois lados assinaram um acordo para permitir que o Vaticano voltasse a ter papel ativo na nomeação de bispos na China, que até então eram escolhidos à revelia do Papa. Apesar disso, padres e bispos no país ainda são obrigados a se alinhar com a igreja oficial. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA