Igreja afasta padre Robson após inquérito de desvio de dinheiro

Religioso de Goiás teria desviado mais de R$ 120 milhões.

Padre Robson admitiu ter feito pagamentos a chantagistas com dinheiro da Afipe
Padre Robson admitiu ter feito pagamentos a chantagistas com dinheiro da Afipe (foto: Reprodução / Instagram)
19:09, 25 AgoSÃO PAULO ZCC

(ANSA) - A arquidiocese de Goiânia anunciou a suspensão temporária do padre Robson de Oliveira de suas funções religiosas, após o pároco ser alvo de uma investigação pelo Ministério Público de Goiás por supostos desvios de doações de fiéis, que podem chegar a R$ 120 milhões.

De acordo com a decisão, Oliveira não poderá "participar, realizar e protagonizar programas de televisão, rádio ou internet", além de celebrar missas e fazer absolvição de pecados. A medida será válida até janeiro de 2022.

O padre é investigado pela Operação Vendilhões, deflagrada na sexta-feira passada (21) por suposta apropriação indébita, lavagem de dinheiro, falsificação de documentos e sonegação fiscal.

A ação apura o uso de dinheiro da Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe), entidade que recebe e administra os recursos recebidos em doação e a qual ele era presidente, para a compra de fazendas, casas de praia e outros imóveis de luxo.

O MP afirma que eram usados "laranjas" e empresas de fachada para a prática dos crimes. O inquérito teve início em decorrência de um processo de extorsão sofrido pelo religioso.

De acordo com a justiça, um hacker extorquiu Oliveira para não expor o romance entre os dois. Em depoimento ao MP, o padre admitiu que fez os repasses aos chantagistas usando o dinheiro da Afipe para que o caso amoroso não viesse a público.

A defesa do padre Robson, no entanto afirmou que "reforça que todo o conteúdo das mensagens é falso, o que comprova que ele foi vítima de criminosos de altíssima periculosidade". (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA