Papa cita Vinicius de Moraes em nova encíclica

Texto tem trecho da letra da música "Samba da Bênção"

Composição de Vinicius de Moraes aparece em encíclica do papa Francisco
Composição de Vinicius de Moraes aparece em encíclica do papa Francisco (foto: Wikimedia Commons/Ricardo Alfieri)
12:02, 04 OutSÃO PAULO ZLR

(ANSA) - Em meio a um forte discurso de apelo social, a nova encíclica do papa Francisco, "Fratelli Tutti" ("Todos Irmãos" em italiano), traz uma citação do poeta e compositor brasileiro Vinicius de Moraes (1913-1980).

No sexto capítulo do texto, dedicado ao "diálogo" e à "amizade social", Jorge Bergoglio menciona uma passagem da letra da música "Samba da Bênção": "A vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro na vida".

Em seguida, Francisco escreve que "várias vezes" já convidou a fazer crescer "uma cultura do encontro que supere as dialéticas que colocam um contra o outro". "É um estilo de vida que tende a formar aquele poliedro que tem muitas faces, muitos lados, mas todos compõem uma unidade rica de matizes, porque o todo é superior à parte", diz o Papa.

A necessidade de diálogo é um dos principais temas da terceira encíclica assinada por Jorge Bergoglio, que também reúne algumas das principais bandeiras de seu pontificado, como as críticas ao nacionalismo, ao populismo, ao individualismo e à "cultura dos muros".

Além disso, defende o direito às migrações e cobra uma reforma da Organização das Nações Unidas e do sistema financeiro mundial. A encíclica é divulgada no Dia de São Francisco de Assis e foi assinada pelo Papa no último sábado (3), durante uma missa na cripta onde está o túmulo do "santo dos pobres" e padroeiro dos animais e do meio ambiente - São Francisco também é a inspiração para o nome de Bergoglio como Pontífice.

Anteriormente, o argentino já havia publicado as encíclicas "Lumen Fidei" ("Luz da Fé"), iniciada por Bento XVI, e "Laudato Si'" ("Louvado Sejas"), a primeira na história da Igreja Católica dedicada à ecologia. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA