Papa apela para fim da violência em protestos no Paraguai

Cidadãos pedem renúncia do presidente por má gestão da pandemia

Protestos no Paraguai pedem a renúncia do presidente Mario Abdo Benítez
Protestos no Paraguai pedem a renúncia do presidente Mario Abdo Benítez (foto: EPA)
14:21, 17 MarCIDADE DO VATICANO ZGT

(ANSA) - O papa Francisco fez um apelo para o fim da violência nos protestos contra o governo do Paraguai na audiência geral desta quarta-feira (17). Segundo o líder católico, é preciso que o povo consiga encontrar o caminho do diálogo.

"Durante essa semana, me preocuparam as notícias que chegam do Paraguai. Por intercessão de Nossa Senhora dos Milagres de Caacupé, peço ao Senhor Jesus, príncipe da paz, que se possa encontrar um caminho de diálogo sincero para encontrar soluções adequadas às atuais dificuldades, e assim construir juntos a paz tão desejada", disse aos fiéis.

Jorge Mario Bergoglio destacou que a "violência é sempre autodestrutiva" e que com ela "não se ganha nada, mas se perde muito".

Desde o início do mês, milhares de paraguaios foram às ruas pedir a renúncia do presidente, Mario Abdo Benítez, por conta da má gestão da pandemia de Covid-19 e pela lenta vacinação contra a doença. Após a pressão, o mandatário demitiu quatro ministros, incluindo o da Saúde, mas os protestos não cessaram.

Após conseguir gerir bem a primeira onda do coronavírus Sars-CoV-2, o Paraguai vem enfrentando uma disparada nos casos e nas mortes, com falta de estrutura sanitária para atender os pacientes. São atualmente, conforme dados da Universidade Johns Hopkins, 183.348 casos confirmados e 3.554 mortes - foram mais de 13,4 mil contágios e 211 mortes em sete dias.

Além disso, o país comprou pouquíssimas vacinas e, mesmo com uma doação do Chile, ainda não conseguiu vacinar sequer todos os seus profissionais de saúde. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA