Papa deve visitar Hungria em setembro e se reunir com Orbán

Viagem foi anunciada por conferência episcopal

Viktor Orbán é um dos lideres da extrema direita europeia
Viktor Orbán é um dos lideres da extrema direita europeia (foto: EPA)
10:51, 17 JunVATICANO ZLR

(ANSA) - A Conferência Episcopal da Hungria anunciou nesta quinta-feira (17) que o papa Francisco vai visitar o país em setembro e se reunir com o controverso primeiro-ministro Viktor Orbán, que é acusado de perseguição contra migrantes, refugiados, homossexuais e opositores.

Segundo comunicado dos bispos húngaros, o líder da Igreja Católica viajará a Budapeste para a missa de encerramento do 52º Congresso Eucarístico Internacional, evento que acontece entre 5 e 12 de setembro.

"É previsto que, antes da Santa Missa, [o Papa] se encontrará com o presidente húngaro, János Áder, o primeiro-ministro Viktor Orbán, membros do governo e outros dignitários do Estado", diz a nota da conferência episcopal.

O comunicado foi divulgado para desmentir rumores de que Francisco não teria nenhum encontro político na Hungria - o Vaticano ainda não divulgou a programação oficial da viagem.

No poder de forma ininterrupta desde 2010, Orbán é uma das principais figuras da direta ultranacionalista europeia e já foi alvo de denúncias na UE por políticas como recusar comida a migrantes e criminalizar ajudas a deslocados internacionais que tenham entrado na Hungria sem autorização.

Além disso, seu governo é acusado de violar o estado de direito em recorrentes ataques à imprensa, a minorias e ao poder Judiciário. Na última terça (15), o Parlamento húngaro, controlado pelo partido de Orbán, aprovou inclusive uma lei que proíbe a "promoção" da homossexualidade para menores de idade. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA