Aos 90 anos, morre ex-padre pedófilo chileno Fernando Karadima

Religioso foi pivô do escândalo de abusos sexuais na Igreja

Fernando Karadima morreu aos 90 anos no Chile
Fernando Karadima morreu aos 90 anos no Chile (foto: EPA)
15:14, 26 JulSÃO PAULO ZGT

(ANSA) - Morreu nesta segunda-feira (26), aos 90 anos, o ex-padre chileno Fernando Karadima, informam diversos veículos de comunicação do país. A causa da morte não foi informada, mas ele havia sido internado por problemas cardíacos nas últimas semanas e faleceu no centro hospitalar San Juan de Dios.

Karadima foi condenado pelo próprio Vaticano por pedofilia em 2011 e o acobertamento dos crimes por parte de seus superiores por parte do Episcopado do país causou um terremoto na Igreja Católica local. Por conta disso, diversos líderes renunciaram e/ou perderam suas funções religiosas, incluindo o ex-bispo de Osorno Juan Barros.

A revogação do estado clerical foi firmada em 2018 pelo papa Francisco "pelo bem da Igreja".

Os crimes do então padre começaram na década de 1980, mas as denúncias foram ignoradas por décadas e muitas das vítimas foram desacreditadas pelos próprios membros da instituição religiosa.

Uma das vítimas, Juan Carlos Cruz, que hoje faz parte da comissão instituída por Francisco contra crimes sexuais de menores dentro da Igreja, publicou uma mensagem em sua rede social - que foi assinada também por outros alvos de Karadima, James Hamilton Sanchez e José Andrés Murillo Urrutia.

"Fernando Karadima, um ex-padre católico que abusou sexualmente e espiritualmente de muitas pessoas, incluindo nós, morreu. Tudo que tínhamos para falar sobre Karadima, nós já falamos. Ele é mais uma parte da cultura de abusos e acobertamentos na igreja. Nós estamos em paz, e nós somos movidos apenas para continuar lutando para que esses crimes não aconteçam de novo", diz o comunicado. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA