Igreja da França vai vender imóveis para ressarcir vítimas de pedofilia

Relatório apontou mais de 300 mil alvos de abusos no país

Missa de Natal na Igreja de Saint-Sulpice, em Paris
Missa de Natal na Igreja de Saint-Sulpice, em Paris (foto: EPA)
13:41, 08 NovPARIS ZLR

(ANSA) - A Conferência Episcopal da França prometeu vender imóveis para aumentar o fundo de indenização para vítimas de pedofilia na Igreja Católica do país.

O anúncio foi feito nesta segunda-feira (8) pelo presidente da conferência, Éric de Moulins-Beaufort, em coletiva de imprensa após a conclusão da assembleia dos bispos franceses, em Lourdes.

Segundo ele, a Igreja na França está comprometida em aumentar o fundo de ressarcimento para vítimas, "cedendo bens imobiliários da conferência e das dioceses". Moulins-Beaufort também não descartou a possibilidade de empréstimos para "antecipar" valores.

Os bispos ainda aprovaram a criação de um organismo nacional encarregado de analisar as indenizações "caso a caso" e presidido pela jurista Marie Derain de Vaucresson, especializada em direitos da infância.

A promessa chega um mês depois da divulgação de um relatório independente que lista pelo menos 330 mil vítimas de pedofilia dentro das instituições católicas na França desde 1950, sendo que 216 mil delas foram violentadas por padres e outros clérigos.

De acordo com a investigação, o número de sacerdotes pedófilos no país nesse período é estimado entre 2,9 mil e 3,2 mil. Uma das recomendações da comissão independente é para que a Igreja indenize as vítimas e que isso não seja visto como uma "doação", mas sim como algo "devido".

O relatório de 2,5 mil páginas foi encomendado pela Igreja na França em 2018, e a comissão passou dois anos e meio investigando registros judiciais, policiais e das instituições católicas. A maioria das vítimas eram meninos entre 10 e 13 anos de idade. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA