/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Itália proíbe uso de celulares e tablets nas salas de aula

Dispositivos não poderão ser usados nem para fins educacionais

ROMA, 22 fevereiro 2024, 10:08

Redação ANSA

ANSACheck

Dispositivos não poderão ser usados por estudantes e professores nem para fins educacionais. - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - O Ministério da Educação da Itália proibiu a utilização de celulares e tablets nas salas de aula das escolas do país.

A medida, que foi antecipada pelo chefe da pasta, Giuseppe Valditara, abrangerá os alunos de todos os níveis, como os ensinos fundamental e médio.

De acordo com as novas diretrizes, os dispositivos eletrônicos não poderão ser usados por estudantes e professores nem para fins educacionais.

O ministro italiano argumentou que a decisão foi tomada por questões pedagógicas, pois o uso indevido da tecnologia se tornou um elemento de tensão na relação entre alunos e educadores. O político acrescentou que isso poderá evitar mais distrações.

"Defender o corpo docente significa proteger o princípio da delegação e da autoridade que é a pedra angular não só do sistema escolar, mas também do sistema democrático", explicou.

Valditara recordou que a Unesco já havia recomendado a proibição do uso de smartphones nas salas de aula porque, se usados de forma excessiva ou inadequada, eles poderão afetar negativamente o desempenho acadêmico, a memória, a concentração e a atividade educativa da criança.

O mesmo caminho seguido pela Itália, segundo a Unesco, já foi tomado por diversos outros países do continente, como França, Suécia, Finlândia e Holanda.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Ou use