/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Manifestantes fazem ato pró-Palestina no Salão do Livro de Turim

Ativistas tentaram entrar à força no evento na Itália

TURIM, 11 de maio de 2024, 13:14

Redação ANSA

ANSACheck

O ato em Turim contou com a presença de mais de 300 pessoas - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

O Salão do Livro de Turim, principal evento literário da Itália, foi alvo de um protesto pró-Palestina neste sábado (11).
    O ato, que recebeu o nome de "Todos os olhos em Rafah", contou com a presença de mais de 300 pessoas, todas integrantes de coletivos estudantis, de centros sociais e da comunidade islâmica palestina.
    "A Feira do Livro é um dos eventos em que Turim e Piemonte fazem uma boa cara para toda a Europa, mas pessoas que portam uma bandeira palestina não podem entrar e levar a voz do povo palestino. É inaceitável que haja dezenas de policiais fechando a entrada com cassetetes e escudos", disseram os manifestantes.
    O grupo ainda mencionou que vai se unir com estudantes de outras cidades do país para protestar contra o envio de armas para Israel, acusado de "massacrar" o povo palestino.
    A manifestação pró-Palestina não foi muito pacífica, pois alguns ativistas abriram à força os portões de entrada do evento para tentar entrar no local. Eles foram contidos pelas forças de ordem.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use