/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Universidades italianas perdem competitividade, diz estudo

Dezenas de instituições caíram em um ranking de qualidade

ROMA, 13 de maio de 2024, 10:58

Redação ANSA

ANSACheck

75% das 67 universidades italianas presentes na lista perderam posições - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

Uma tabela elaborada pelo Center World University Rankings (CWUR) apontou que a Itália perdeu competitividade em nível internacional no cenário do ensino universitário.
    De acordo com o relatório, 67 instituições de ensino do país apareceram na lista deste ano, mas 75% delas perderam posições.
    A romana La Sapienza, que é a melhor avaliada entre as faculdades do país, caiu oito degraus e assumiu a 124ª colocação da tabela. As universidades de Padova (173º) e Milão (186º) também perderam posições.
    Somente 16 universidades italianas subiram na tabela em comparação com o ano anterior.
    "É claro que a posição da Itália no campo da educação e da investigação está cada vez mais sob pressão em razão do crescimento dos sistemas de ensino superior em todo o mundo. Sem maiores investimentos públicos em pesquisa e desenvolvimento, a Itália corre o risco de diminuir ainda mais o seu desempenho no futuro", explicou Nadim Mahassen, presidente do Center for World University Rankings.
    São quatro os parâmetros levados em consideração pelo estudo: qualidade do ensino (25%), empregabilidade (25%), qualidade dos professores (10%) e pesquisa (40%).
    Pelo 13º ano consecutivo, Harvard foi a universidade de maior prestígio do mundo, segundo o CWUR, seguida pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT) e Stanford.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use