[an error occurred while processing the directive] Itália deve gastar 500 mi de euros em área afetada por tremores - Internacional - Ansa.it
/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Itália deve gastar 500 mi de euros em área afetada por tremores

Itália deve gastar 500 mi de euros em área afetada por tremores

Governo estuda benefício para quem preferir se mudar

ROMA, 22 de maio de 2024, 18:27

Redação ANSA

ANSACheck

Tendas da Defesa Civil em Pozzuoli - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

O governo da Itália estima que serão necessários 500 milhões de euros (R$ 2,78 bilhões) para implementar medidas de segurança na região dos Campi Flegrei, área localizada em um antigo vulcão no golfo de Pozzuoli que tem sofrido com sucessivos abalos sísmicos.
    Na terça-feira (21) a área foi atingida pelo tremor mais forte em 40 anos, de magnitude 4,4 na escala Richter, além de mais de 160 tremores secundários de menor escala, levando à evacuação de casas e de uma prisão. O fenômeno abalou estruturas de edifícios e aterrorizou moradores - o local tem milhares de prédios e 80 mil habitantes.
    A prioridade para as medidas de segurança serão as escolas. O governo também estuda a hipótese de dar um apoio financeiro para quem quiser se mudar da região.
    As informações foram divulgadas pelo ministro da Defesa Civil, Nello Musumeci, ao fim de uma reunião ministerial extraordinária sobre o tema no Palazzo Chigi, sede do governo italiano, com a presença da primeira-ministra, Giorgia Meloni, nesta quarta (22).
    "Mas quem decidiu viver lá sabia que era uma área difícil, que apresenta riscos. Só nos lembramos quando a terra treme e esse é um grande limite, é preciso uma convivência vigilante com o perigo", disse Musumeci.
    O enxame de abalos sísmicos continua em atividade - mais um tremor de magnitude 3,6 foi registrado na manhã desta quarta.
    "A comunidade científica diz que os tremores podem durar um mês, um ano, podem evoluir ou se extinguir já amanhã. Nós devemos estar prontos para qualquer possibilidade. Estamos trabalhando com as prefeituras e a região para definir um plano de evacuação, que ficará na gaveta, mas deverá ser executado imediatamente se for necessário", disse o ministro.
    A comissão de Grandes Riscos do governo também se reuniu para avaliar o perigo. Segundo Musumeci, a expectativa é de que o nível de alerta amarelo seja mantido, indicando "atenção". O próximo nível seria o laranja, indicando "pré-alarme".
    O representante do governo Meloni disse que há um plano para proibir novas construções na área. Devem ser empregados mais recursos na chamada zona vermelha, onde há 1.250 casas em elevado risco sísmico e 2.750 em médio risco. As decisões serão tomadas quando a avaliação de vulnerabilidade dos imóveis for concluída.
    As escolas da região seguirão fechadas até a sexta-feira (24). O terremoto de terça levou à evacuação de 39 famílias de suas casas em 13 prédios em Pozzuoli.
    Além disso, detentas da prisão feminina de Pozzuoli foram evacuadas. A prisão foi um dos edifícios da região que sofreu danos, com rachaduras aparecendo em alguns lugares e pedaços de alvenaria caindo. As presidiárias foram temporariamente levadas para outras cadeias da região.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use