/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Astrônomos detectam oceano em 'Estrela da Morte' de Saturno

Mimas é a lua mais interna do planeta dos anéis

ROMA, 07 fevereiro 2024, 13:37

Redação ANSA

ANSACheck

Mimas, lua mais interna de Saturno, esconderia oceano interno (foto: NASA/JPL-Caltech/Space Science Institute)

(ANSA) - Pesquisadores descobriram um oceano escondido em outra lua de Saturno, planeta cujos satélites naturais são uma das principais esperanças de astrônomos de encontrar vida extraterrestre no Sistema Solar.

O estudo foi coordenado por Valery Lainey, do Observatório de Paris, e se baseia em dados da sonda Cassini, histórica missão das agências espaciais de EUA (Nasa), Europa (ESA) e Itália (ASI), concluída em 2017.

Segundo a pesquisa publicada na revista Nature, um oceano se esconde entre 20 e 30 quilômetros abaixo da superfície congelada de Mimas, lua de Saturno similar à Estrela da Morte, a icônica estação espacial de Star Wars.

Até agora, cientistas já haviam confirmado a presença de oceanos sob o manto de gelo que cobre as luas Encélado, de Saturno, e Europa, de Júpiter. Nos dois casos, trata-se de oceanos de água líquida que poderiam reunir as condições para abrigar formas de vida.

Mimas é a mais interna das luas de Saturno e foi observada pela primeira vez em 1789, pelo astrônomo alemão William Herschel. O satélite tem uma densidade baixa, o que indica que ele é composto sobretudo de água congelada, e realiza uma série de oscilações durante sua rotação.

O oceano teria se formado recentemente para os padrões astronômicos, entre 2 milhões e 25 milhões de anos atrás - estima-se que o Sistema Solar tenha cerca de 4,6 bilhões de anos. Por isso, ainda não teria deixado sinais na superfície de Mimas, como os gêiseres e fraturas visíveis em Encélado e Europa.

A descoberta deve aumentar o interesse dos astrônomos por Mimas, após o fascínio alcançado entre apaixonados por ficção científica por remeter à Estrela da Morte, enorme arma de destruição que lança um laser a partir de uma cratera.

A semelhança, no entanto, é casual, uma vez que o primeiro filme da saga Star Wars com a Estrela da Morte estreou três anos antes das primeiras fotos aproximadas de Mimas, tiradas pela sonda Voyager 1, em 1980, revelando uma enorme cratera no satélite. (ANSA)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Ou use