/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Italiano desenvolve coração em impressora 3D para cuidados personalizados

Implante pode auxiliar no tratamento de doenças cardíacas

ROMA, 27 fevereiro 2023, 08:52

Redação ANSA

ANSACheck

Projeto foi desenvolvido por um jovem pesquisador italiano durante o confinamento da Covid © ANSA/Melanie Gonick MIT

(ANSA) - Um estudo conduzido por um pesquisador italiano apontou que é possível imprimir em 3D uma réplica exata do coração de uma pessoa ao desenvolver um modelo macio e flexível capaz de se contrair como o original.

O siciliano Luca Rosalia, o primeiro autor do estudo, teve sua pesquisa publicada na revista Science Robotics por um grupo de engenheiros do Massachusetts Institute of Technology (MIT).

A descoberta do italiano pode auxiliar os profissionais de saúde a estudar a anatomia e a funcionalidade do coração de pacientes de forma individual, a fim de personalizar os tratamentos e escolher as válvulas e próteses mais adequadas para o implante.

O desenvolvimento do coração em 3D tem a chance de ajudar os pacientes a se curarem de inúmeras doenças cardíacas, como a estenose aórtica, por exemplo.

"Todos os corações são diferentes. Existem grandes variações, especialmente quando os pacientes estão doentes. A vantagem do nosso sistema é que podemos recriar não apenas a forma do coração de um paciente, mas também sua função, tanto na fisiologia quanto na doença", explicou Rosalia, que elaborou a pesquisa em 2020, durante o isolamento em função da pandemia de Covid-19.

A impressão do coração é feito a partir de uma série de imagens do órgão original do paciente, que são convertidas em um modelo digital para ser impresso em 3D na sequência. O exemplar ainda recebe uma tinta especial à base de polímero.

O coração em 3D é macio e flexível, sendo que o mesmo pode ser feito para a aorta, principal artéria que transporta o sangue do coração ao resto do corpo.

Já para simular a contração, as impressões são revestidas com bainhas que são conectadas a um sistema pneumático no qual o ar é injetado para induzir a contração.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Ou use