/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

UE adia votação sobre proibição de carros a gasolina

Países como Alemanha e Itália são contrários à medida

BRUXELAS, 03 março 2023, 08:10

Redação ANSA

ANSACheck

Carros a gasolina podem ser proibidos na UE a partir de 2035 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - Após pressões de Alemanha e Itália, a União Europeia adiou a votação sobre a proibição da venda de novos carros movidos a diesel ou gasolina no bloco a partir de 2035.

A medida foi aprovada pelo Parlamento da UE em meados de fevereiro e seria votada em uma reunião dos representantes permanentes dos 27 Estados-membros em Bruxelas, mas, segundo a presidência pro tempore da Suécia no bloco, foi retirada da agenda sem a definição de uma data.

Além das críticas de Alemanha e Itália, países com maior número de automóveis na UE, também pesaram no adiamento as posições contrárias de Bulgária e Polônia.

Nos últimos dias, o governo italiano enviou aos representantes dos Estados-membros da União Europeia uma carta criticando a proibição de novos carros a diesel ou gasolina a partir de 2035.

No documento, Roma diz ser "favorável" à eletrificação de veículos leves, porém destaca que, durante a transição, esse "não deve ser o único percurso para zerar as emissões".

"Estabelecendo um objetivo de redução de 100% das emissões em 2035 e não prevendo qualquer incentivo para o uso de combustíveis renováveis, o regulamento não está em linha com o princípio de neutralidade tecnológica. Portanto, a Itália não pode apoiá-lo", afirma a carta. (ANSA)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use