/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Itália tem 94% do território em risco para desastres climáticos

Governo apresentará atualização de plano de prevenção

ROMA, 24 maio 2023, 13:03

Redação ANSA

ANSACheck

Cidades da Emilia-Romagna estão ainda fazendo trabalho de limpeza - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - O ministro da Defesa Civil e das Políticas do Mar da Itália, Nello Musumeci, afirmou durante uma sessão na Câmara dos Deputados nesta quarta-feira (24) que praticamente todo o território do país está em área de risco para desastres climáticos.

"Quando falo de prevenção estrutural, não me refiro só à luta contra os problemas hídricos e hidrogeológicos, mas também ao risco dos terremotos. Quantas são as infraestruturas estratégicas que poderiam resistir a um determinado abalo sísmico? Quantas são as cidades que, em caso de sismo, podem ser alcançadas pelos meios de socorro? São perguntas que precisamos levar em consideração, já que mais da metade do território está em zona sísmica e quase totalmente, 94%, está em área de deslizamento ou de risco hídrico", afirmou aos deputados.

Musumeci foi à Câmara para falar sobre as fortes enchentes que atingiram a região da Emilia-Romagna na última semana e sobre as medidas que estão sendo tomadas para a reconstrução.

Ainda conforme o ministro, a Itália é um país "mais propenso a reconstruir do que prevenir" e que eventos como aconteceram na região "não podem ser previstos, mas se pode reduzir os efeitos desastrosos que produzem".

"As mudanças climáticas não são mais um fenômeno extraordinário. A tropicalização chegou na Itália há 10 anos e induziu o governo que estava no cargo, em 2016, a criar um plano nacional próprio para adaptação das mudanças no contexto climático. [...] Mas, não foram dados passos significativos adiante. Junto ao ministro [do Ambiente e Segurança Energética] Pichetto Fratin, aceleramos isso e no inicio do próximo ano apresentaremos o plano com os dados elaborados entre 2016 e 2020", acrescentou.

Questionado especificamente sobre a situação da Emilia-Romagna, Musumeci afirmou que 23 rios da região registraram níveis críticos, além de 30 deslizamentos. No momento, são 622 estradas ainda fechadas para trânsito, muitas das quais secundárias. Já o plano é que todas as ferrovias sejam recuperadas até o início de junho.

Além dos danos materiais, que ultrapassam os 7 bilhões de euros (cerca de R$ 37 bilhões), as enchentes mataram 15 pessoas.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Ou use